A inspeção é uma prática natural do ser humano e usada todos os dias, muitas vezes até de forma intuitiva como checar alimentos antes de comer, checar se há insetos no sapato antes de calçar dentre muitos e muitos outros possíveis exemplos. No mundo empresarial a inspeção tem diversas aplicações desde áreas administrativas até operacionais sempre com o intuito de identificar uma falha de forma precoce.

Existem diversos métodos de inspeção com diferente níveis de precisão assim como diferentes recursos necessários para executar a tarefa. O tempo necessário para execução é outro parâmetro da inspeção bastante monitorado principalmente quando se refere a inspeção de qualidade realizada no final do processo de produção.

Um exemplo muito eficiente de inspeção é o realizado em fábricas de bebidas que através de fotos tiradas, de forma extremamente rápida, é possível observar 100% das garrafas buscando a presença de trincas, verificando o volume do produto no interior e até mesmo a posição do rótulo, tudo isso com a ajuda de programas de computador.

No entanto, ao falarmos de inspeção industrial é comum encontrarmos planos de inspeções ineficientes ou mal aproveitadas como, por exemplo, a inspeção visual de máquinas, equipamentos e instalações.

Geralmente inseridas em planos de manutenção preventiva ou detectiva, a inspeção visual vem descrita em uma ordem de serviço sem parâmetros de checagem e ainda, algumas vezes, sem sequer especificar os pontos que devem ser monitorados. Quando isso acontece, fica na responsabilidade do inspetor ou mantenedor identificar o que é aceitável ou não, aumentando muito a probabilidade de não identificação da falha ou de ocorrer uma intervenção prematura.

Instrução de trabalho para inspeção

Além haver a necessidade dos parâmetros padrões nas ordem de serviços é fundamental elaboração de instruções de trabalhos para as atividades. Talvez para alguns leitores é óbvio tal afirmação mas algumas empresas, mesmo utilizando famosas metodologias de gestão, ainda pecam em não haver instruções de trabalho e quando possuí, não treina o executante adequadamente. A importância da instrução para a inspeção é definir pontos de atenção de como chegar na parte a ser inspecionada, posição de observação, ferramentas necessárias e os cuidados com a segurança. Ao não ter definido estes itens, realizar uma simples atividade de inspeção visual poderá ter um resultado contrário do esperado, por exemplo, o inspetor ou mantenedor poderá inserir uma falha ou uma condição para que a falha se desenvolva.

Usando a inspeção visual como manutenção preditiva

Com popularização das câmeras digitais de alta resolução a inspeção visual pode se tornar uma excelente técnica para elaborar um plano de manutenção baseado na condição. Quando realizado o registro da atividade em imagens de forma periódica é possível acompanhar o desenvolvimentos de falhas como corrosão, trincas, sujeira excessiva, ressecamento e muitos outros problemas, tornando possível identificar o tempo ideal de troca / intervenção utilizando algum modelo estatístico.

Quando aplicado em facilities é possível aplicar o mapeamento 3D de estruturas e construções fazendo com que a inspeção fique ainda mais precisa, além de ajudar a planejar melhor as atividades como pontos de acesso, quantidade de material necessário para correção de problemas, identificação de pontos vulneráveis para a segurança do trabalho e patrimonial dentre outras aplicações mais específica.

Outros métodos de manutenção preditiva (que normalmente nascem melhor estruturado e possuem um custo mais elevado) são indispensáveis em algumas aplicações. Vale ressaltar que a manutenção preditiva não resolve nenhuma falha por si só, sua função é fornecer previsibilidade para que o problema possa ser resolvido através de uma intervenção mais eficiente possível.

O uso de drone como apoio a inspeção industrial

Conforme citado no começo deste artigo, o tempo é um dos parâmetros bastante observado para otimizar o processo de inspeção das empresas. O uso de drone permite realizar tais atividades em áreas extensas e complexas de forma rápida e precisa, além de ser possível modelar áreas externas em 3D em poucos minutos. Neste caso, no entanto, se deve observar alguns pontos para que o uso deste equipamento não se torne um problema pois há a necessidade do inspetor ter o conhecimento de operação do equipamento, cumprir norma de acesso ao espaço aéreo, executar a manutenção do drone, além de contar com o seguro do mesmo que é obrigatório.

A inspeção visual muitas vezes é julgada como ineficiente principalmente quando ocorre uma falha logo após sua execução. Porém conforme foi visto, a inspeção visual é inerente as atividades do dia a dia e quando realizada de forma correta e bem definida com a utilização de parâmetros e de instrução de trabalho é um método valioso e de baixo custo. O uso de câmeras de alta definição e de outras tecnologias, como drones, podem melhorar os resultados obtidos da inspeção com a geração de histórico de imagem, modelamento 3D proporcionando aumento na precisão e na rapidez da execução. Quando bem trabalhados os quesitos precisão, recurso aplicado e tempo no plano de inspeção muitas empresas poderão notar uma melhora robusta no custo e na qualidade nestas atividades.