Áreas que contenham atmosfera explosiva são fontes de grandes preocupações e cuidados para as empresas que a possuam. Este tipo região é caracterizada por possuir uma atmosfera com concentração de gases ou poeiras que podem entrar em combustão causando grande devastação caso haja um acidente. Por este motivo as áreas classificadas necessitam de precauções extras a fim de evitar ou mitigar a ocorrência de tais eventos.

Classificar uma área significa criar um mecanismo que identifique o nível potencial de mistura combustível que uma área corre o risco de possuir. A classificação destas áreas segue a norma ABNT NBR IEC 60079 e de acordo com o resultado desta classificação, descreve-se o raio de ação de um possível sinistro e se adota medidas de controle, eliminação ou mitigação de efeitos. O grau de risco de uma área é classificado como “zona”. As zonas são classificadas das seguintes formas para gases e vapores:

a) ZONA 0 – local onde a ocorrência de mistura inflamável/explosiva é contínua, ou existe por longos períodos;

b) ZONA 1 – local onde a ocorrência de mistura inflamável/explosiva é provável de acontecer em condições normais e operação do equipamento de processo;

c) ZONA 2 – local onde a ocorrência de mistura inflamável explosiva é pouco provável e acontecer e se acontecer é por curtos períodos.

Empresas que possuem plantas industriais em diversas localidades mas que nem todos os seus produtos ou processos geram atmosfera ex, usualmente criam uma unidade ou uma área destacada das demais, exclusivamente para estes produtos e processos explosivos para minimizar a exposição de pessoas nestes locais. Hoje diversas metodologias, como “indústria 4.0”, atuam na automação e auto manutenção dos equipamentos, auxiliando neste mérito. Além da questão de segurança, a estratégia apresentada visa a redução de custos trabalhistas pois envolve o pagamento de periculosidade para os trabalhadores expostos a este risco.

Um dos cuidados básicos, porém fundamental, é que todos os aparelhos elétricos instalados ou mesmo utilizados nesta área sejam providos de dispositivos que eliminem ou isolem fontes de ignição, uma vez que para que ocorra uma explosão é necessário que haja: Oxigênio, combustível e fonte de ignição (triangulo do fogo). Estes equipamentos precisam passar por uma serie de testes para serem homologados e assim estarem aptos a operar em alguma das zonas de atmosfera explosiva para qual foram projetados. Nenhum equipamento eletrônico (com fonte de ignição), sem a devida homologação, deve ser instalado em áreas classificadas e tão pouco utilizar aparelhos móveis na mesma situação.

Após apresentado este sucinto resumo sobre áreas classificadas, é possível dizer que trabalhos de natureza simples podem se tornar complexos nestas regiões. Atividades de inspeções e manutenções se fazem essenciais para garantir a segurança e a disponibilidade operacional das instalações, pois com a tendência é evitar cada vez mais expor pessoas a este risco, são inseridos nos processos mais equipamentos de automação. Estas atividades são precedidas por diversas exigências de segurança como permissão de trabalho, liberação de bombeiros e algumas outras checagens da atmosfera e medidas de contenção.

Como as zonas são determinadas a partir de uma distância (raio) do ponto onde há presença permanente ou por tempo prolongado da atmosfera explosiva, as atividades de inspeção em locais onde, aparentemente está livre de gases inflamáveis (como telhados sem chaminé), na realidade ainda podem conter riscos.

Inspeção de áreas classificadas utilizando drones

O uso de drones para áreas classificadas com atmosfera explosiva pode ser uma ferramenta bastante útil para realizar inspeções visuais. É possível realizar estas atividades a distancia fora das zonas classificadas utilizando poderosas câmeras com zoom e possibilitam a inspeção de diversos parâmetros em locais de difícil acesso. Caso seja necessário aproximar o equipamento ainda mais, é possível utilizar drone homologado para utilização em zona 2 e deste modo realizar atividades como termografia de componentes pequenos e detecção de gases, por exemplo.

A utilização de drones na área industrial tende a se tornar muito comum devido ao seu baixo custo de locação, pela sua praticidade e peloaumento da segurança do trabalho que vai desde a facilidade de acessar locais inapropriados para habitação humana até a gravação de vídeos e fotos que podem ser disponibilizados em reuniões e demais eventos.

Conhecendo os riscos que das áreas classificadas, fica evidente a necessidade de equipamentos adequados para sua inspeção e manutenção. O uso de equipamentos não apropriados para estas áreas podem gerar grandes riscos a todos os trabalhadores e muitas vezes para a região onde esta empresa esteja lotada. O uso de recursos tecnológicos de inspeção, como drones industriais, auxiliam na minimização da exposição a ambientes de riscos, possibilitam acesso a locais inacessíveis e melhoram a qualidade de obtenção das informações desejadas.